fire   ❁   heart
Archive for February, 2017
02.28.2017
Roberta   /   0 Comments   /   Random
02.22.2017
Roberta   /   0 Comments   /   Inspirational

Há exatamente um ano, comecei a conversar com a pessoa que viria a colocar minha vida de cabeça para baixo e desconstruir tudo que eu pensava sobre mim—no melhor dos sentidos.

Até então, eu pensava estar vivendo minha vida, mas na realidade eu estava apenas existindo. Mascarando minha personalidade para poder me encaixar na sociedade e ser bem-quista pelas pessoas ao meu redor. Sempre negando meus próprios desejos a favor dos outros, querendo agradar a todos e me negligenciando pelo caminho. Com medo de perder minhas referências, as poucas pessoas que conquistei pelo caminho—e que ficaram. Foram poucas as vezes que tive coragem de me expôr e dizer minhas verdades, na tentativa de ser ouvida e respeitada por quem eu sou. (E não era, porque como iriam me ouvir e me respeitar se nem eu mesma o fazia?!) E sempre com aquele medo. Porque se eu deixasse de fazer o que os outros queriam, eu seria mais uma decepção (pra eles, claro. A mim não me importava o que eu seria). Levei minha vida até esse ponto como pude—e muitas vezes, como não pude—, estudando coisas que não refletiam quem eu sou, quem eu queria ser… Mas, quem eu queria ser? Nem eu mesma sabia responder essa pergunta. Nunca soube me descrever como pessoa. Eu sabia que não era igual às outras, mas não sabia como “me encaixar dentro de mim”.

“Eu sou diferente. Eu sou uma decepção.”

Me sentia flutuando pela vida, sem ter onde me apoiar. Não podia nem me apoiar em mim mesma porque, novamente, eu estava perdida demais para isso—era quase como se eu não tivesse uma identidade. E não podia me apoiar nos outros, porque eles iriam embora mais cedo ou mais tarde. As pessoas sempre partem. Mas o problema principal nisso tudo, era que eu havia partido, eu havia ido embora e me deixado há muito tempo atrás. Assim como meu pai o fez, quando eu tinha 3 anos de idade, quando eu estava começando a formar meu caráter. E desde então eu estava sempre esperando que os outros fizessem o mesmo porque eu não conseguia ser autêntica comigo mesma, me dando o suporte que eu sempre esperava dos outros, pois assim que eu começasse a revelar um pouquinho do que eu verdadeiramente sou, como quando estava começando a “virar gente” aos 3 anos de idade, eles também iriam embora.

Pra mim era quase um pecado não me encaixar. Era uma blasfêmia servir a mim mesma e depois aos outros. E assim, minhas próprias vontades, assim como pedacinhos de mim, eram deixados pelo caminho… eu os descartava sem nem mesmo explorá-los.

E aí você apareceu. Surgiu, do nada, quando eu menos esperava. (e quando eu já havia desistido de encontrar alguém com quem sempre sonhei em compartilhar minha vida)
Eu sentia algo essencialmente pleno dentro de mim quando estava com você, mas não foi até meses depois que eu iria descobrir o seu impacto e importância na minha vida.

E parece que você trouxe, junto com você, todos esses pedacinhos de mim. Você, inconscientemente, ao longo do seu próprio caminho, foi recolhendo todos eles e os trouxe pra mim, num momento especialmente arquitetado pelo universo.
…E foi muita coisa de uma só vez. Toda essa bagagem, sem percebermos, assustou demais a nós dois. Porque talvez eu também estivesse recolhendo pedacinhos de você ao longo da minha insignificante jornada até então, e te entreguei assim, sem mais nem menos, de uma vez e sem aviso prévio.

Eram coisas estranhas a nós dois, coisas que ignoramos todo esse tempo.
Mas como tudo que ignoramos uma hora precisamos enfrentar de um jeito ou de outro, essas coisas começaram a ficar muito presentes na minha vida. Lutei demais contra todas elas. Não queria aceitar, estava confortável fingindo ser alguém que mal ou bem, ainda conseguia ser “normal”. Foram meses de batalhas internas, e sem que ninguém ao meu redor entendesse. Nem eu mesma entendia. Eu só sabia sentir.

E era o suficiente apenas sentir. Porque a medida que o tempo foi passando, tudo, absolutamente tudo desde os primeiros anos da minha vida, começou a fazer todo o sentido pra mim. E eu nunca deixei de sentir, na realidade, eu sentia mais a cada dia que passava.

Eu já não me importava com o que diziam ou pensavam sobre mim—era minha jornada, afinal—eu iria continuar sentindo. E brigar por esse sentimento. E defender quem eu estou me tornando, que na verdade, é quem eu sempre fui, debaixo de camadas e camadas de máscaras e personas. Pela primeira vez na vida, eu tenho orgulho de ser quem eu sou. Pela primeira vez na vida, eu sei quem eu sou.

Eu sou eu. Uma mulher forte, poderosa, guerreira, apaixonada, bonita por dentro e por fora, corajosa na sua vulnerabilidade, que finalmente abraçou todos os seus defeitos e todas as suas qualidades, e que não tem mais medo de mostrá-los para o mundo. Eu sou capaz de transformar tudo ao meu redor apenas com a minha força de vontade e meu poder de cura. E meu amor. Ah, o meu amor! Esse pode falar por si só. Mas ele não se contenta em apenas falar: ele grita! Cada vez mais alto.

Esse amor extinguiu todo o medo que antes dominava minh’alma.

E esse sentimento, que defendo com unhas e dentes, foi você quem trouxe e despertou em mim. Inconscientemente. Essa vontade de viver e de amar, foi você quem me deu. Inconscientemente. E eu sou grata, a cada segundo da minha (outrora existência) vivência. Obrigada por me ensinar a viver e a amar, e a amar viver. E a amar a mim mesma, como sou, com todas as minhas falhas e com toda a minha plenitude. Porque hoje eu sou plena. Hoje, não me importa quem eu perdi, porque no final das contas, eu me ganhei. E continuo me ganhando, a cada dia que passa. Hoje, eu me amo sem condições, assim como aos outros, assim me aceito e aceito aos outros como eles são, e não pelo que eles podem me oferecer—pois o necessário, eu mesma já me ofereço. O suporte que tanto preciso, eu estou me dando. O exterior é apenas reflexo do meu interior. Quem eu mereço ter na minha vida e em troca igualmente me merece, permanece afincadamente. Sem eu ter que mudar uma vírgula do que sou e do que represento. Pois esse é o tal amor incondicional que tanto falam. E que você me mostrou ser capaz (e digna) de sentir.

E essa é minha missão, meu papel no mundo. Não o de me encaixar e ser “outro tijolo na parede”, mas de ter a capacidade de levar essa total aceitação e amor às pessoas, e assim despertar o mesmo nelas. Pois todos somos capazes disso. É o amor que cura. É o amor que é a resposta. Para tudo.

Se você estiver lendo isso, você já sabe dos meus sentimentos por você, o que sinto no núcleo da minha alma—isso não mudou nem nunca mudará. Mas eu desejo que você se veja como eu te vejo. E se ame como eu te amo. E saiba que só tenho bons sentimentos por você e, acima de tudo, tenho amor incondicional e gratidão. Por tudo que você é, por tudo que você representa pra mim, e por tudo que você trouxe à minha vida, súbita e inconscientemente. Pela “chacoalhada” repentina porém muito necessária que você me proporcionou.

(Se, inconscientemente, você é capaz de despertar tudo isso em alguém, imagine o que é capaz de fazer conscientemente?! 🙂 )

Eu nunca vou deixar de sentir. E nunca sentirei menos.

02.17.2017
Roberta   /   0 Comments   /   Poetry

“Out of the night that covers me, 
      Black as the pit from pole to pole, 
I thank whatever gods may be 
      For my unconquerable soul. 

In the fell clutch of circumstance 
      I have not winced nor cried aloud. 
Under the bludgeonings of chance 
      My head is bloody, but unbowed. 

Beyond this place of wrath and tears 
      Looms but the Horror of the shade, 
And yet the menace of the years 
      Finds and shall find me unafraid. 

It matters not how strait the gate, 
      How charged with punishments the scroll, 
I am the master of my fate, 
      I am the captain of my soul.”

—William Ernest Henley

02.02.2017
Roberta   /   0 Comments   /   Poetry

I feel all of you all the time
I feel your pain, I feel your sorrow
I feel you aching all over
Like there is no tomorrow
But it’s also the love I feel
Coming from you
That helps me endure this
For you
To help you
And from me to you
All my love I send
Believe me
It heals
You are healing
You are becoming who you were born to be
Been there, done that
You are just as strong
And getting even stronger
You come to me
Asking for my strength
I am here, like always
There’s no giving up in true love—
Our love
I know you can feel me
Just like I can feel you
So feel this
My love—
“Love is the most powerful force in the universe”
Our love is our greatest healer
We are each other’s saviors
The way you held space for me all this time
Now I do the same for you
I cannot go through this for you
Nor should I
All I can do is love you through it
So here I am
I am your pillar
Lean on me
In times of discomfort
For you are never alone
I had my time
Now it’s your turn
To become your greatest self—
Whom I’ve always known and trusted
Our love is getting higher
Our time is nigh
Rely on you
You are the strength you need
You are your most powerful force
But again— I am here
Like I have always been, like I will always be
Together, we move mountains
Together, love is not only powerful
But it is all there is
And all that will ever be
And we will have our time
Of heaven on earth
Eternally

2/2